INSCRIÇÕES

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O Elo Perdido - O Filme

 Em breve, no cinema mais próximo de sua casa.


Um filme de aventura.



Um grupo de jovens inocentes...



...caiu no conto do vigário.




... que prometeu um passeio suave por lindas trilhas na mata.


Mas, de repente, não tinha mais trilha, ...







... não tinha mais mata...




... só um buracoooooooooººººººººººººº.........




Seria um filme de aventura, ...



... se não fosse também policial






Com participação especial de








E grande elenco.




Direção de



quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Datum


Você já ouviu falar em datum?

Quem já ouviu, provavelmente foi fuçando um GPS.
A gente nem sabe, mas a invenção do datum é o que fornece a precisão necessária para os nossos maThe pas. A explicação do que é datum não é simples de entender, mas é interessante. Tudo está relacionado ao formato da Terra.
Estudos mais recentes sobre o formato do planeta mostram que ele é mais irregular do que se imaginava. Em tempos antigos, achava-se que a Terra era plana. Depois, que era uma esfera. Mais recentemente, entendem-na como uma esfera achatada nos polos. Um cientista da NASA já quer mudar esse conceito dizendo que a Terra lembra uma pera.
concordiaabchao.wordpress.com
O fato é que a Terra é muito mais irregular do que parece. Essa irregularidade traz um problema para os mapeadores. Porque mapas são expressões matemáticas gráficas que representam a superfície. Uma expressão matemática largamente utilizada para fazer mapas é a que trata a Terra como uma esfera achatada nos polos. O nome técnico desse formato é elipsoide. O elipsoide é definido por uma equação  matemática. Se tem uma expressão matemática, então dá pra fazer um mapa.
Só que...
Ao longo do tempo, os mapeadores verificaram que o elipsoide deveria ser ligeiramente modificado, de acordo coma região do planeta. Intuitivamente, a humanidade adaptou-se à irregularidade da superfície terrestre utilizando vários elipsoides diferentes para mapear.
Vamos atalhar a explicação por aqui antes que ela complique mais. Vamos considerar que
elipsoide = datum
Um desses elipsoides é o mais famoso do planeta, que é o usado no GoogleMaps: o datum WGS84. Nos mapas brasileiros, se vê o datum Córrego Alegre, o SAD69 e o novíssimo SIRGAS.

Na prática

Se você não estiver usando um GPS, não se preocupe. Pouco lhe importa se o seu mapa foi feito com o datum Córrego Alegre, ou SAD69, ou AGD84 (da Austrália). No entanto, se você for transportar uma coordenada de um mapa para um GPS, certifique-se de inserir mais essa configuração no aparelho, o datum, que sempre está anotado no canto do mapa.
Se o datum não for o correto, o seu GPS te condena a um erro considerável, podendo ser de poucos a milhares de metros do local certo.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Orientação e Olimpíadas

O que falta para a Orientação estar nas Olimpíadas?

Já faz alguns anos que a Federação Internacional de Orientação esforça-se para inserir o esporte Orientação no programa olímpico. Em agosto deste ano, o Comitê Olímpico Internacional reuniu-se no Rio de Janeiro para decidir quais os novos esporte a integrar as Olimpíadas de Tokyo em 2020. Mais uma vez, a Orientação ficou de fora. Aliás, não chegou nem a integrar uma listagem prévia editada em julho de 2015.
Na realidade, tomar parte nos Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno, bem como das Paralimpíadas, faz parte dos objetivos estratégicos da IOF (International Orienteering Federation).
Para saber um pouco mais deste assunto e sobre o sonho olímpico do esporte Orientação, a Autidó entrevistou o novo presidente da IOF, o estoniano Leho Haldna.


Autidó - Beisebol/softbol. karatê, skate, escalada e surfe (esportes aceitos na próxima edição dos Jogos Olímpicos): o que você acha que estes esportes têm que a Orientação não tem?
Leho HaldnaEsta é realmente uma boa questão. Não sei detalhes sobre os esportes citados, mas eu sei onde estão nossas deficiências. As nossas maiores fragilidades são a venda e o marketing, além da falta de representatividade nas organizações esportivas internacionais.Nós precisamos ser mais voltados para vendas e encontrar, de fato, um grande patrocinador para o nosso esporte. Nosso esporte tem sido majoritariamente "de nós para nós", mas, se nós queremos estar nas Olimpíadas, precisamos não ser só um bom esporte, mas também um entretenimento. Nossa produção televisiva já está em bom nível e agora nós precisamos trabalhar para a venda e o marketing. Muito importante é ter uma boa representação nos organismos internacionais de esportes. A IOF perdeu algumas posições que nós mantínhamos no passado e nosso objetivo, a curto prazo, é encontrar e apoiar candidatos para cargos em diferentes organizações esportivas.

Autidó - Uma das metas principais da IOF está definida na Diretivas Estratégicas 2012-2018: estar apto para a inclusão nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. O que significa "estar apto"? Quais ações estão em curso e planejadas para atingir esta meta?
Leho Haldna - "Estar apto" significa  o esporte Orientação ser atrativo, tecnicamente pronto para os Jogos Olímpicos e também cumprindo todos os critérios do Comitê Olímpico Internacional para ser incluído nos Jogos Olímpicos. Nós temos uma longa lista de ações em prol das nossa ambições olímpicas e elas estão listadas no nosso plano de atividades. Nós já estamos trabalhando nas Diretivas Estratégicas e no plano de atividades a partir de 2018 e, provavelmente, "estar apto" será removido.

Autidó - Bem, nós perdemos a oportunidade de estar em Tokyo 2020. Mas a Orientação estará presente em Wroclaw 2017 (Breslávia, Polônia). Qual é a diferença entre a Orientação integrar Os Jogos Mundiais(1) e integrar os Jogos Olímpicos?
(1) Os Jogos Mundiais estão para a Associação Internacional dos Jogos Mundiais (IWGA) assim como as Olimpíadas estão para o Comitê Olímpico Internacional. Ambos ocorrem de 4 em 4 anos e concentram, ao longo de algumas semanas, as competições de dezenas modalidades esportivas como paraquedismo, cabo de guerra, sinuca, frisbee, sumô, etc, além do esporte Orientação.
 Leho Haldna - Os Jogos Olímpicos (JO) e os Jogos Mundiais (JM) são eventos completamente diferentes no mundo esportivo internacional. Cerca de 30 esportes sonham em ser incluídos nas Olimpíadas participando dos JM. E alguns esportes oriundos dos JM evoluíram para os JO. Este é um bom evento para mostrar a Orientação da melhor forma no mercado esportivo global. A Orientação está nos JM desde 2001 e nós temos feito um bom progresso durante esses anos.

Autidó - E quanto aos trabalhos do esporte Orientação visando os Jogos Olímpicos de Inverno?
Leno Haldna - A Orientação sobre Esquis tem feito um bom progresso na cena esportiva internacional e agora está presente em todos os maiores jogos de inverno, incluindo os Jogos Mundiais Militares e a Universíada (2) de Inverno.
(2) Universíada é a combinação das palavras universidade e Olimpíada. Trata-se de um evento multidesportivo internacional organizados para atletas universitários.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Passagem das Estações e Orientação

Começa a Primavera

E qual a relação disso com a orientação???
Primeiro repare o seguinte: foi dito "orientação" com "o" minúsculo. Então está se falando da prática de se localizar no terreno de forma genérica e não do esporte especificamente.
O início da primavera se dá com o equinócio, fenômeno astronômico no qual o sol passa exatamente por cima da linha do Equador vindo do hemisfério norte. Amanhã, dia 22 de setembro, precisamente às 11 horas e 21 minutos, este fenômeno estará ocorrendo, marcando o início da estação. Não precisa se preocupar que esse fenômeno é rotineiro, não vem acompanhado de abalos sísmicos, nem de espetáculos visuais.
Apenas com o entendimento deste fenômeno já se pode basear a orientação. Isto porque em boa parte do ano o sol está sobre o hemisfério norte da Terra. Então, a linha imaginária que o sol percorre no céu nos indica o lado da face norte da Terra.
Achou enrolada essa técnica? Essa outra é quase infalível! A técnica do relógio.
Aponte a linha 6-12 do seu relógio para o sol, com o 12 mais próximo do astro. Se o relógio for digital, imagine que é de ponteiros. Aí, você pega a linha que divide ao meio o ângulo formado entre o ponteiro das horas (ponteiro menor) e a linha 6-12. Mas pegue o ângulo menor. Pois bem,essa linha que divide o ângulo, também conhecida como bissetriz, aponta exatamente a direção norte.
Tenta aí! De dia, por favor.
Uma ressalva. tudo o que foi dito aqui é válido para um observador que esteja no hemisfério sul da Terra. Se você for para Roraima ou para o Amapá, há grandes chances de ser tudo isso ao contrário.
Outra ressalva. Tudo funciona assim durante o ano todo para quem mora ao sul do trópico de Capricórnio. Para quem está um pouco mais acima, como nós do coração do estado de São Paulo, a técnica do relógio só não funciona cerca de 2 semanas antes até 2 semanas depois do solstício de verão, que será no dia 21 de dezembro, fim da primavera.
Fonte: blog.tocandira.com.br
Mas se você teve a boa vontade de ler até aqui, você merece um desconto de 20% numa atividade da Autidó. Para ganhar esse desconto, você deve comentar este artigo na fanpage da Autidó até amanhã, dia 22 de setembro de 2016, no horário do equinócio de primavera, às 11h21 (hora de Brasília).

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Os Bastidores de um Campeonato de Orientação

Como foi a preparação para o Campeonato Paulista de Orientação em Agudos

Parece até que uma competição de Orientação está no duelo dos atletas com o terreno e contra o relógio. Mas para proporcionar as condições para esta competição, os trabalhos começam muito antes do primeiro bip do cronômetro de partida.
Vamos tomar como exemplo a recente etapa do XXI Campeonato Paulista de Orientação, ocorrida no dia 11 de setembro, em Agudos. Três áreas são fundamentais para que o campeonato funcione: o mapeamento, a organização do evento e a condição técnica dos atletas.
O primeiro mapeamento da área do Piatan foi feito para a Copa do Brasil, em 2002. De lá para cá, muita coisa mudou, sendo necessário uma atualização desse mapa. Esta foi feita no mês de julho por um experiente mapeador que, inclusive, é bauruense, mas que reside fora há anos: João Manoel Franco.
Com o mapa na mão, entra em ação um produto da nossa terra: a Divisão de Traçado de Percursos da Autidó. Ela foi quem concebeu os percursos tal como foram colocados na competição. Duas semanas antes da prova, os percursos foram testados, ou seja, componentes da Divisão correram os percursos e fizeram os ajustes necessários no mapa e nos traçados.
Além da Divisão de Traçado, muitos outros agentes trabalharam para a organização. O presidente da Federação, Joaquim Picardo, criou os canais de comunicação com a Duratex, com a Autidó, com a Prefeitura e outros apoiadores que permitiram que o evento acontecesse, isso muito antes do mapeamento. O Professor Roberto Paschoa, por exemplo, intermediou todas as necessidades da prova junto ao Executivo municipal. Como esses, existem muitos outros agentes comprometidos.
De nada vale tudo isso funcionar se a condição técnica dos atletas não estiver adequada. Se um atleta se perder durante a prova, estilo "sair da carta", todo o brilho de um bom trabalho será ofuscado. Daí que a preparação técnica de quem vai participar é fundamental para a competição e para o indivíduo.
É justamente neste ponto que a Autidó orgulha-se. Orgulha-se pelos seus pupilos que venceram o desafio de entrar nas matas e completar seus percursos. Foram 15 bravos que se aventuraram por terras desconhecidas. E o resultado foi ótimo em todas as categorias que participaram.
O "ótimo" não fica por conta do bom desempenho de alguns, que obtiveram o melhor tempo em suas categorias, como a Amanda, o Tayguara e o Gustavo. Mas o ótimo vai para todos, porque "todos" usaram a técnica, venceram o terreno e completaram o percurso.
Parabéns!!!
Fonte: Isabel

Fonte: Leandro Kitamura

Fonte: Roberto Paschoa Júnior

Fonte: Rodrigo

Fonte: Rodrigo

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Os Números de um Campeonato

Estatísticas da Orientação

Interessante saber "quanto" e "como" a Orientação vem sendo praticada. Uma das formas é refletindo quanto aos números de um campeonato oficial.
Aqui expõem-se as estatísticas da 5ª etapa do XXI Campeonato Paulista de Orientação (CAMPOR), a ser realizado no dia 11 de setembro, em Agudos. A competição faz parte do calendário da Federação de Orientação de São Paulo (FOSP). Como a prova ainda não ocorreu, tudo se refere ao número de inscritos, pois não se sabe quem efetivamente participará.
Começa-se com a quantidade de participantes: 120.
22,5% são mulheres. Cadê a mulherada correndo?
Sabe quantos são menores de 18 anos?  4 "de menor". Como será o futuro assim?
12 bravos e experientes orientistas formam os 10% com mais de 50 anos de idade.
 Das 105 categorias previstas neste campeonatos, 31 têm atletas inscritos, sendo que 1/3 destas 31 categorias têm apenas um atleta.
18 categorias são masculinas,  12 femininas e uma de dupla.
2 categorias são do nível Elite, 10 do nível A (muito difícil), 8 do nível B (difícil) e 7 do nível N (novato). Somam-se 3 categorias de "acompanhado" e 1 de dupla.
A categoria com mais inscritos é, como sempre, a concorrida H21A, com 23 inscritos, seguida pela H20N e H21B.
13 clubes de Orientação ou instituições ou grupos estão representados. Mas 14 atletas declaram-se sem clube (individual).
O Clube de Orientação de Campinas (COCAMP) é o que tem mais inscritos: 34.
Sabe quantos são da região? De Bauru, Agudos, Piratininga? 12. Apenas 10%. Não é fácil ter um campeonato paulista, registrado na Confederação Brasileira de Orientação, no quintal da nossa região. Saberemos aproveitar melhor no próximo!
A esperança reside na tendência de crescimento do esporte na região. Afinal, dos 12 fantásticos, 11 já treinaram na Autidó: Álvaro, Amanda, André, Geraldo, Gustavo, Isabel, João, Laura, Mário, Rodrigo e Tayguara.



quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Interdisciplinaridade

Esporte Orientação na Escola

Este é o nome de um projeto que está sendo desenvolvido com professores do Ensino Fundamental. Visa capacitá-los a utilizar a Orientação na complementação da educação formal de crianças.

Esta é uma outra face deste esporte. Ele pode ser uma excelente ferramenta para consolidar o conhecimento adquirido em sala de aula. Isto porque a prática da Orientação leva ao aluno a percorrer diferentes terrenos, defrontando-se com os desafios intelectuais da leitura de mapas. Essa dinâmica permite que o professor e o aluno explorem os campos do saber sob o olhar da matemática, da geografia, da história, da comunicação, da ecologia, da educação física e de tudo o mais que o terreno, o mapa e a criatividade do professor proporcionarem. É o que se chama de interdisciplinaridade.
Se em vários países europeus essa prática educacional vem sendo usado há anos, professores de Agudos dão os primeiros passos nesse sentido.
A professora Ana Gláucia já começou um trabalho com seus alunos do primeiro ano do Ensino Fundamental. Com um mapa da sala de aula, ela foi ensinando as primeiras noções da leitura dos símbolos cartográficos e das práticas do esporte.
Será que valeu a pena essa aula? Deixa a professora falar:
"De início, parecia ser apenas uma gostosa brincadeira, mas de fato se tornou um prazeroso aprendizado. Através do lúdico, as crianças aprenderam o conceito de localização espacial."
Mapa e prismas
Conhecendo o mapa

Trabalho em equipe
Achando os pontos
 
Achei tudo!!!


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

O Pretexto da Orientação



A Orientação como Pretexto

Muitas podem ser as motivações que levam as pessoas a praticar Orientação: contato com a natureza, atividade física mixada com intelectual, o gosto pela aventura, o enfrentamento do desconhecido, usar mapas, espírito competitivo, dentre outras. Nesse texto não vamos falar de nenhuma dessas razões para sair correndo com um mapa na mão.
O assunto aqui é uma das atividades humanas que é intensamente ligada a Orientação: viajar. Porque praticar Orientação é viajar. Não viajar à trabalho, mas como turismo de lazer.
É lógico que todas as motivações listadas estão presentes em maior ou menor escala na decisão de ir fazer Orientação. Mas viajar é um ensaio de férias. E quem não gosta de férias! Aí, o orientista descobre que vai ter competição na praia do Gunga, em Alagoas (IV Copa de Orientação no Nordeste - 2014). Sabe qual é a primeira coisa que ele pensa? Praia, é óbvio!
Fonte – http://www.skyscrapercity.com
 Ainda em 2014, 3ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação. Tudo bem que os gaúchos montam excelentes percursos. Mas quando se sabe que a prova é na Serra Gaúcha, vem à cabeça as paisagens bonitas, estilo europeu, flores, friozinho(zão), lareira, cachoeiras, vinho e ...
Café Colonial - fonte:www.peixeurbano.com.br
Mas por que precisa de uma competição para ir a estes lugares? Em primeiro lugar, a Orientação tem a característica de tirar das sombras lugares que nunca tínhamos ouvido falar e que são sensacionais. Aí, pratica-se um esporte legal num local legal. Como no Campeonato Brasileiro de Orientação, em 2000, na maravilhosa Floresta Nacional da Tijuca, Rio de Janeiro.
Fonte: www.wordpress.com
E ainda se pode "tirar" uma de atleta que está participando de um campeonato brasileiro (sul-americano, mundial, etc). Pois nisso a Orientação é bem igualitária: o mesmo local que o atleta de elite corre é o mesmo que todos correm.
E então?! Gostaria ser um atleta internacional ao participar do Campeonato Sul-Americano de Orientação, de 27 a 30 de outubro, no Chile? Qual é seu pretexto?
Fonte: www.smartplanet.com.br

segunda-feira, 18 de julho de 2016

A Maior Competição do Mundo

O-Ringen

Guarde esse nome. É a maior competição do esporte Orientação no planeta. Pode-se escrever muitas linhas sobre este evento para ser justo à sua magnitude. Dessa vez, o destaque fica por conta dos seus números.
A começar pelo tempo de duração. O O-Ringen já foi chamado de "5 Dias da Suécia", porque são 5 dias de prova. 5 dias de prova não são 5 x 24 horas de competição. Significa que são 5 pistas, uma a cada dia. As pista são normais, com duração entre 30 minutos e uma hora e meia, dependendo da categoria. Além dessas pistas, também há competições de revezamento, para cadeirantes, de mountain bike, ... só para citar algumas, pois são 154 categorias de competição. Daí que tudo dura mais de uma semana. A etapa desse ano começará no dia 22 de julho e terminará no dia 29.
Mas sabe quantas pessoas participam dessas atividades? Quando começou, em 1965, foram 156 atletas. A competição foi crescendo, crescendo, ... e hoje são estimados cerca de 20.000. É isso mesmo! São milhares de pessoas correndo com um mapa na mão. O recorde foi em 1985 com mais de 25 mil. Juntando essa quantidade de atletas e a número de dias, serão dadas mais de 75 mil partidas. Uma loucura!
Os participantes que costumam se inscrever vão dos 5 aos 95 anos de idade, oriundos de mais ou menos 40 países. Olha só: para as pistas clássicas deste ano, estão inscritos dois homens e uma mulher nas categorias para quem tem mais de 90 anos.
Imagina a estrutura para organizar tudo isso! Pense que a cada dia de prova, as partidas começam à 8:30 da manhã, sendo que os últimos atletas a partir largam às 1:30 da tarde. Isso que tem gente saindo a cada minuto de 4 ou 5 locais de partida distintos.
Os números da grandiosidade da maior competição de Orientação do mundo não param por aí, mas fica para uma próxima postagem outras notícias dessa Mecca da Orientação. Por hora, a sugestão é curtir a página do evento www.oringen.se
E tentar imaginar tudo isso por meio dessa imagem da chegada de um dos dias do O-Ringem de 2014.
http://idrottonline.se/EdsSK-Orientering/Nyheter/Egnanyheter/O-ringen2014

terça-feira, 14 de junho de 2016

O Desafio das Curvas de Nível

Um teste para a terceira dimensão do mapa.

A compreensão dos desenhos que representam o relevo é o mais belo conhecimento que se pode extrair de um mapa.
Esse conhecimento é o que separa o joio do trigo, os homens dos meninos.
No domingo, dia 26 de junho, faremos uma pista para celebrar e avaliar o aprendizado da leitura de curvas de nível. Encerrar-se-á, assim, o treinamento Modelado do Terreno da Autidó, a segunda capacitação em fundamentos de orientação.

Na fazenda Santa Maria, em Piratininga, serão montadas duas pistas de nível técnico distinto.
  • A pista DESAFIO é indicada para os que serão avaliados no treinamento Modelado do Terreno ou para quem já conhece orientação e quer praticar.
  • A pista INICIANTE é para quem tem pouco conhecimento das técnicas de orientação.
Aproveite a oportunidade e leve seus amigos e familiares para conhecer o esporte Orientação e fazer um agradável passeio na fazenda Santa Maria.
Não perca a inscrição AQUI, disponível até às 22 horas do dia 24 de junho, sexta-feira.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

"A união faz a ...

... a força."

Quando se fala que "a união faz a força" para a Orientação, refere-se ao aspecto econômico em especial. Isto porque, de todos o$ gasto$ com tal prática esportiva, dois pontos destacam-se, dentre outros.
  1. Mapeamento. Basicamente, é a razão da Orientação. É a construção da arena do jogo. Para se ter uma ideia, fazer um mapa custa em torno de 9 mil reais.
  2. Deslocamentos. Um dos efeitos colaterais de praticar Orientação é viajar e conhecer muitos lugares. Alguns chegam a dizer que participar de uma pista é apenas um pretexto para viajar. Afinal, alguns eventos são em locais fantásticos: serra gaúcha, praias do Nordeste, ou, como na próxima etapa do Campeonato Brasileiro de Orientação em junho, na região de Caldas Novas/GO. Mas, como em qualquer viagem, gasta-se dinheiro com isso.
Então, quanto mais gente estiver praticando Orientação na nossa região, mais pessoas poderão dividir os custos de mapeamento. Na prática, significa baratear a prática do esporte.
Da mesma forma, fica mais tranquilo viajar por aí fazendo Orientação se mais pessoas se prontificarem a dividir os custos do aluguel de vans, ônibus, ou "rachar" as despesas dos carros particulares.

A união faz a força.

A "união" traduz-se em um efeito de massa, ou seja, muitas pessoas praticando Orientação. E a "força" tem um efeito de poder, porque, com mais gente, podemos fazer muito mais Orientação.
Por isso, é estratégico ter mais praticantes para que a Orientação na nossa região seja um esporte e lazer autossustentável.

Fonte: http://thebestforeverap8a.webnode.pt

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Calendário de Junho

Vem chegando o verão...

No hemisfério norte.
Para nós, é o inverno mesmo.
Comemorando a chegada da estação, a Autidó apresenta um calendário quente de eventos para encher os finais-de-semana de junho com o esporte Orientação.



Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sáb
Dom


1
2
3
4
Treino Inicial
5
Model Terreno
6
7
8
9
10
11
Treino Inicial
12
CAMPOR
13
14
15
16
17
18
Treino Inicial
19
Unesp
20
21
22
23
24
25
26
Desafio CN
27
28
29
30





Explicações do calendário
  • Nos sábados, teremos o velho e bom Treinamento Inicial, na Unesp. É a oportunidade para levar os amigos pra fazer Orientação, já que só explicar é dureza! Aí, no dia 19 de junho, domingo, faremos a competição na Unesp para encerrar a fase do Treinamento Inicial.
  • No dia 05, domingo, vai rolar o Modelado do Terreno. É o segundo degrau das técnicas de orientação, fundamental para entender as curvas de nível. Estes conhecimentos serão testados no dia 26, com um Desafio numa fazenda em Piratininga.
  • E, de quebra, ainda poderemos participar da 4ª etapa do Campeonato Paulista de Orientação - CAMPOR, em Pirassununga, no dia 12. Boa oportunidade para saber como anda o esporte em São Paulo.

Outras sugestões de datas? Entre em contato com a nossa ouvidoria contatoautido@gmail.com

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Não Vai Ter Golpe!!!

Que isso fique bem claro aos leitores desse blog.

Compartilhando as nossas vivências em orientação, aperfeiçoamos nossas técnicas de navegação no terreno.
Quem quer golpe, vai procurar karatê, judô, ..., essas lutas que têm por aí.
Aqui nós comentamos e convidamos para praticar os mais eficientes métodos de orientação para utilizar em momentos de diversão e lazer.
Por isso que, nesse sábado dia 14 de maio, vamos fazer o Treinamento Inicial. Mais pessoas poderão conhecer o principal fundamento da orientação: a leitura de mapa. E ser introduzido no fascinante mundo do esporte Orientação. Pra participar, é só preencher este FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO.
E não é só!

No domingo, avançaremos mais na leitura do mapa com a compreensão da curva de nível. Esse treino, o Modelado do Terreno, é só pra quem já fez o Treinamento Inicial.
A leitura da curva de nível - CN - é a parte mais técnica da orientação. Aqueles que dominam esse conhecimento aproveitam muito mais as informações do mapa.
A CN é virtual.
Ela existe, mas é uma construção teórico-matemática de pontos vizinhos de mesma altitude que formam uma linha, sendo que o conjunto dessas linhas nos dão a noção precisa da conformação do terreno, suas reentrâncias, protuberâncias e desníveis.
Tá difícil de entender?
Faz o seguinte: preenche a inscrição abaixo e vem participar desse treinamento no domingo
  • dia 15 de maio,
  • no km 248 da rodovia Bauru-Ipaussu, em Piratininga.
  • Vem de calça, pois andaremos num pasto.
  • Traz água pra beber,
  • protetor solar,
  • R$ 12,00 (doze reais) e
  • a sua bússola justiceira (usaremos o olho de Thundera). Quem não tiver, pode ser a bússola do celular.
  • A gente  começa às 09 horas e termina ao meio dia.
Não esquece de preencher esse outro formulário aí embaixo.